Depreciação de veículos: por que alguns carros desvalorizam mais do que outros?

A depreciação de veículos é um dos quesitos que podem influenciar na decisão de compra. A avaliação leva em consideração uma série de fatores, como desgaste, ano de fabricação, entre outros. 

Com esse cálculo em mãos, você poderá, por exemplo, decidir de forma estratégica qual é o melhor momento para trocar de carro. 

No texto abaixo vamos explicar como realizar esse cálculo e ainda vamos apontar quais motivos fazem alguns desvalorizarem mais que outros. Confira!

O que é depreciação de veículos?

Um carro é um bem patrimonial de uso contínuo. Todo bem patrimonial tem um índice depreciativo, ou seja um cálculo da vida útil desse bem, uma avaliação de quanto tempo ele irá funcionar perfeitamente. 

No caso dos automóveis, por exemplo, estima-se que eles já perdem cerca de 20% de seu valor no momento em que saem da concessionária. 

Esse índice é o indicativo usado para a avaliação de veículos usados, ou seja, é a partir do nível de depreciação que será definido o valor da compra. 

Fatores que influenciam na desvalorização de carros

Para fazer a análise da depreciação de veículos são levados em consideração uma série de fatores. Listamos as variáveis que mais influenciam nesse cálculo abaixo. Veja. 

Ano de fabricação

É o indicador que mais influencia no cálculo de depreciação de veículos. Isso porque, quanto maior o seu tempo de uso, mais obsoleto o modelo por vir a se tornar. 

Quilômetros rodados

Entende-se que quanto mais quilômetros são rodados, maior é o desgaste do veículo. Logo, a sua desvalorização se torna maior. 

Por exemplo, se compararmos dois modelos idênticos, de uma mesma marca e ano, que contam quilometragem distintas, aquele com a menor rodagem torna-se mais valorizado. 

Isso acontece pois a partir de uma certa quilometragem (estima-se que em cerca de 60 mil km) há um consenso de que é necessário ter mais atenção com as peças do veículo. Logo, a probabilidade de gastos com manutenção é maximizada. 

Conservação do veículo 

Aqui é analisado qual o real estado do veículo. Aspectos como amassados, avarias e arranhões também influenciam no cálculo de depreciação de carros. Além disso, deve-se considerar também se o modelo já sofreu acidentes graves. 

Valorização no mercado

O índice de depreciação também vai depender da procura pelo modelo no mercado. Isto é, se ele for um modelo que tem muita procura nos últimos anos, como o Fiat Argo, por exemplo, ele terá uma desvalorização menor que os demais.

Leia também: Revisão de carros: como manter a durabilidade e segurança do veículo

Como é feito o cálculo de depreciação de veículos? 

Todos os fatores apresentados acima serão considerados durante a avaliação de um veículo usado. 

Contudo, caso você queira saber a média de depreciação, é possível realizar alguns cálculos específicos, como o da Receita Federal e o baseado na Tabela FIPE. 

Cálculo contábil da Receita Federal

A Receita Federal define o prazo de 5 anos como a previsão de vida útil de um carro. Baseado nessa estimativa, é feito o cálculo de quanto um modelo irá se desvalorizar nesse período. 

A avaliação nesse caso funciona da seguinte forma:

Valor do veículo 0km ÷ 5 = perda anual. Para encontrar a depreciação mensal, deve-se dividir o resultado por 12. 

Veja um exemplo abaixo: 

Suponhamos que o carro custe 60 mil. Então, o cálculo será o seguinte: 

R$60 mil ÷ 5 = R$12 mil (depreciação anual)  ÷ 12 = R$1.000 depreciação mensal

Por ser um cálculo contábil que segue as normas da Receita Federal, ele não leva em consideração os fatores variáveis aqui citados. Além disso, há o entendimento de que, após 5 anos, o veículo deixa de ter valor, o que não é verdade. 

Cálculo com base na Tabela FIPE

A Tabela FIPE é um levantamento realizado pela  Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas que mensalmente informa o preço médio dos veículos presentes no mercado. 

Portanto, você pode conferir no indicador qual é o valor médio de um carro igual ao seu, da mesma marca, versão e ano. Com base nos preços ao longo dos anos é possível chegar ao índice de depreciação médio. 

Para exemplificar como deve-se realizar o cálculo vamos indicar alguns valores hipotéticos do valor do Fiat Argo 2018 na Tabela FIPE. Suponhamos que o veículo tenha sido vendido por R$48.990, e que sua depreciação na tabela tenha sido de: 

  • Primeiro ano: R$39.192,00
  • Segundo ano: R$37.232,40
  • Terceiro ano: R$36.487,75

O índice de depreciação deve seguir o seguinte critério: 

(Ano anterior – ano seguinte / ano anterior) x 100

De acordo com o exemplo, a desvalorização entre o segundo e terceiro ano foi de: 

(R$39.192,00 – R$37.232,40 / R$39.192,00) x 100 = 5%

O veículo sofrerá sua maior desvalorização em seu primeiro ano de vida, mas ao longo dos anos seguintes ela vai perdendo a força. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *