Estatísticas no trânsito: quando carros se tornam armas

Quando usado com imprudência os carros podem se tornar armas perigosas no trânsito. Os dados estatísticos são assustadores e alarmantes. Por isso é muito importante que voltemos nossa atenção para a conscientização da população em geral por um trânsito mais seguro.

A seguir vamos apresentar um panorama dos acidentes no trânsito brasileiro e mundial nos últimos anos. No mês de setembro acontece a Semana Nacional do Trânsito que tem intuito de conscientizar motoristas e pedestres para uma maior segurança no trânsito.

 

Os números do trânsito no Brasil

No ano de 2017 o número de vítimas de acidentes envolvendo carros e demais veículos automotores registrou em aumento de 23% comparado ao ano anterior. Em 2016 foram 33.547 vítimas, e em 2017 esse número subiu para 41.151. Esse resultado aparece como um retrocesso para o trânsito brasileiro, tendo em vista que o país vinha numa queda consecutiva nos últimos cinco anos de mortalidade no trânsito.

Os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) são ainda mais alarmantes, eles indicam que todos os anos cerca de 1,3 milhões de pessoas morrem em acidentes no trânsito. O trânsito é a nona maior causa de mortes do planeta.

Esse cenário pode se tornar ainda mais agravante caso não se conscientize a população como um todo. A OMS estima que cerca de 1,9 milhões podem morrer no trânsito em 2020, e o trânsito se tornaria a quinta maior causa de mortes.

Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) a maior causa de mortes no trânsito no Brasil é o excesso de velocidade e o consumo de álcool pelos motoristas, em seguida vem o uso de celular durante a condução.

 

Orientações para uma condução segura

A Polícia Rodoviária Federal elencou algumas recomendações para os motoristas objetivando uma maior segurança no trânsito. Confira algumas delas:

  • Revisão preventiva – Providenciar a checagem do carro mesmo para pequenas viagens. Faróis acesos para ver e ser visto; pneus calibrados e em bom estado; motor revisado, com óleo e nível da água do radiador em dia. Não esquecer de verificar a presença e estado dos equipamentos de porte obrigatório, principalmente pneu estepe, macaco, triângulo e chave de roda, além dos limpadores de parabrisa e luzes do veículo;
  • Atenção redobrada – Observar as placas que indicam os limites de velocidade e as condições de ultrapassagem. Elas não foram colocadas naquele ponto da estrada sem motivo. Nos trechos em obras, o motorista deve reduzir a velocidade e obedecer a sinalização local.
  • Pausas para descanso – O condutor deve programar paradas a cada 3 horas. Quem se expõe a muitas horas dirigindo fica sujeito ao fenômeno da “hipnose rodoviária”, na qual se mantém de olhos abertos, mas sem percepção da realidade à sua volta. Ela vem acompanhada de sonolência, perda de reflexos e de força motora;
  • Cinto de segurança –  Use sempre o cinto de segurança no carro, este equipamento é obrigatório para todos os ocupantes do veículo.

Confira as informações completas neste link.

dúvidas para um mecânico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *