Cinto de segurança veicular: um aliado importante na preservação da vida

Cinto-de-segurança

O cinto de segurança veicular é o item mais eficaz na redução de riscos de ferimentos graves e mortes em acidentes de automóveis.  Por isso, mesmo que você esteja em um carro que ofereça diversos itens de segurança, é fundamental usar o cinto de segurança quando o veículo estiver em movimento.

No texto a seguir vamos apresentar dados que comprovam a importância do uso deste equipamento. Além disso, vamos indicar o que diz a legislação sobre o tema e também quais são os tipos de cinto de segurança de carro disponíveis no mercado automotivo. Veja!

Por que o cinto de segurança veicular é tão importante? 

Para sua própria proteção e dos demais ocupantes do veículo, o cinto de segurança impede, em caso de colisão, que seu corpo seja arremessado contra o volante, para-brisa e até mesmo para fora do carro.

Passageiros do banco traseiro também devem, obrigatoriamente, fazer uso do cinto de segurança. O não uso do equipamento pelos passageiros do banco de trás ainda traz um agravante, uma vez que aumenta o risco de lesões para os passageiros da frente, em caso de colisão.

Isso porque, em caso de colisões frontais, esses são arremessados em direção do motorista ou passageiro do banco dianteiro.

Estatísticas que compravam a importância e eficiência do cinto de segurança de carro

Estudos baseados nas estatísticas sobre acidentes em estradas e ruas brasileiras mostram que passageiros que usam corretamente os cintos de segurança, têm uma chance maior de sobreviver em um acidente grave do que quem não faz uso do cinto de segurança.

Abaixo, apresentamos alguns dados de órgãos relacionados ao trânsito, como o Detran, que apontam a importância do uso deste equipamento. Veja só!

  • O cinto de segurança veicular reduz em 45% o risco de morte no banco dianteiro e de 25 a 75% no banco traseiro;
  • 8 em cada 10 pessoas que não usavam o cinto de segurança morreram em acidentes com pelo menos um dos veículos a menos de 20 km/h;
  • Indivíduos que não usam cinto de segurança no banco dianteiro possuem 4 vezes mais chances de se machucar em um acidente.
  • 80% das vítimas fatais em acidentes de trânsito que estavam no banco dianteiro poderiam ser evitadas caso todos os passageiros do banco de trás estivessem usando cinto de segurança;
  • 40% das mortes em acidentes de trânsito são causadas por choque contra o para-brisas ou painel de instrumentos;
  • O cinto de segurança veicular é capaz de reduzir em até 40% o risco de traumatismo craniano, responsável por metade dos óbitos em acidentes automobilísticos;
  • 30% das mortes em acidentes de carro são causadas pelo choque contra o volante.

Tipos de cinto de segurança

Os cintos de segurança de carros contam com uma determinada quantidade de locais de fixação, que comumente são chamadas de pontos. Entenda como se dá essa classificação abaixo:
  • Cinto de segurança veicular de 2 pontos: Conta com dois pontos de fixação, cada um localizado em uma ponta da correia. Tem como principal função a proteção à cintura, evitando que o corpo vá para frente em colisões. Atualmente, são encontrados apenas no meio de alguns bancos traseiros.
  • Cinto de 3 pontos: Tem o formato de “Y”, com pontos de fixação no ombro e outros dois na parte inferior do assento. É o tipo de cinto mais eficiente para proteger os passageiros, por isso, desde 2020, todos os carros fabricados devem, obrigatoriamente, instalá-los para todos os ocupantes.
  • Cinto de segurança de 4, 5 e 6 pontos: São opções menos comuns e mais encontradas em carros de competição e em cadeirinhas infantis. A principal função desses modelos é manter o corpo estático e assim, proteger ainda mais o indivíduo em colisões.

O que diz a legislação sobre o tema? 

Por todos os motivos já citados acima, o cinto de segurança veicular é obrigatório no Brasil. Apesar de o país contar com um dos maiores percentuais de utilização do equipamento no banco da frente, 97%, esse número ainda é muito baixo no banco de trás, com apenas 3 a 7% de utilização pelos passageiros.
Rodar com passageiros, tanto na frente, quanto atrás, sem o cinto de segurança significa multa grave, de acordo com o artigo 65 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB):
“É obrigatório o uso do cinto de segurança para condutor e passageiros em todas as vias do território nacional, salvo em situações regulamentadas pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito)”
Caso o motorista seja pego descumprindo essa regra, fica sujeito à multa de R$195,23 e aplicação de 5 pontos na carteira. O mesmo é responsabilizado caso algum dos passageiros não esteja fazendo uso do cinto.

 

Confira na Delta Fiat as melhores ofertas de Fiat em Juiz de Fora. Siga-nos no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *